PAI, IRMÃO, MÃE, CHEFE: EU SOU HOMOSSEXUAL!

banner-paginas-posts


postagem-homosexual
Tal frase na maioria das vezes é dita com muita ansiedade pelo que virá a seguir.

A reação da sociedade frente à homossexualidade ainda nos dias de hoje é provida de uma carga emocional e social enorme.
Dia 28 de junho é comemorado o dia do Orgulho Gay, lembrado em todo mundo depois de um confronto entre homossexuais e policiais, em 28 de junho de 1969, em Nova York (EUA).

Hoje 47 anos depois um ataque a uma boate gay na cidade de Orlando (EUA) abala novamente o mundo e levanta questões referente à intolerância, ao radicalismo religioso, e notícias se espalham pelas mídias afirmando que o atirador era freqüentador da boate e segundo sua ex esposa tinha tendências homossexuais.

Assumir ou não a homossexualidade sempre é uma tarefa delicada para a pessoa, mesmo para aquelas que estão inseridas em um núcleo familiar dito mais “liberal”. E o sofrimento interno para o indivíduo que é cercado por práticas sociais e religiosas mais intolerantes a relação homoafetiva é enorme.

A pessoa vive em conflito porque tem o desejo de se realizar e na maioria das vezes assumi um papel social de ser heterossexual, casar e ter filhos para se enquadrar no que a sociedade espera para esta pessoa.

Contudo o desejo de levar uma vida totalmente diferente está pulsando fortemente dentro daquela pessoa, que no caso do atirador de Orlando levou a um ato extremo de “matar” algo que desejava tanto.

Apesar do Brasil já ter leis que garantam a união de casais homoafetivos e leis que considerem a discriminação crime inafiançável, o país mantém alto índice de assassinato contra homossexuais e travestis, e a cada 10 jovens que cometem suicido oito são gays.

Número cada vez mais crescente de jovens que tiram a própria vida, por ter medo da reação da família e dos amigos.

A ansiedade e a depressão podem ser alguns dos sintomas presentes nos jovens, que tem conflitos internos por não quererem assumir sua sexualidade, alguns se isolam dos amigos, outros passam a ter algum comportamento violento ou começam a mentir.

A busca por uma psicoterapia é fundamental para que o indivíduo se fortaleça internamente e enfrente seus conflitos.

Rosangela Corrêa CRP: 06/45870

Psicóloga e Educadora Sexual pela Unisal

*O material deste site é informativo, não substitui a terapia ou psicoterapia oferecida por um psicólogo.


Rua do Grito 133, Ipiranga – Próx. ao metro Sacomã

contato@equilybra.com.brequilybrapsicologia@hotmail.com

CRP/PJ: 4997-J

icone-face icone-instagram icone-youtube

Postado

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.