CASAIS DE NAMORADOS PRECISAM DE PSICOTERAPIA?

banner-paginas-posts


A resposta é sim, pois namorados são um casal assim como casados, amasiados, portanto uma relação de duas pessoas. Mas se tratando de namoro, principalmente casais jovens, percebo muita imaturidade na relação, favorecendo dificuldades de comunicação, ciúmes, inseguranças, brigas frequentes, enfim, ocasionando um possível término. É claro que muitas vezes não tem jeito, porque não há mais amor para enfrentar a crise. Mas é triste quando se gostam muito e simplesmente jogam a toalha, porque estão cansados de dizer uma coisa e serem interpretados de outra maneira ou com ciúmes sem sentido, por exemplo.

Acredito que a terapia na fase de namoro seja muito diferente do que para casais juntos há anos, porque este último, se conhecem há muito tempo e sabem demais um do outro, o que beneficia na terapia. Em contrapartida são rígidos em seus comportamentos, e a comunicação mais negativa, ou seja, não conseguem mais discutir a relação e quando há, são palavras que machucam, interferem na autoestima e destroem a relação. Os casais jovens que se conhecem em pouco tempo são imaturos e não rígidos em seus comportamentos, é mais como uma reação imediata, (impulso) com a ação do outro. As intervenções nesses casos são melhores, pois estão começando a entender e trabalhar como um casal, para mais a frente conseguirem dividir a vida juntos, assumindo responsabilidades. A terapia de casal irá ajuda-los a se comunicarem melhor, trabalhar as inseguranças e ao mesmo tempo terem suas vidas independentes.

Alguns me perguntam: mas porque terapia de casal se eu não sei se é com ela(e) que vou ficar? Pode ser que não dê certo e fiz terapia à toa.

 A terapia nunca é à toa, pois independente se a relação vai dar certo ou não, as mudanças internas, (individuais) ocorrem, e a pessoa irá carregá-las para outro relacionamento, sempre tentando não cometer os mesmos erros. Relacionamentos nunca são fáceis e o ¨aprender¨a se relacionar está muito mais direcionado ao autoconhecimento e autoestima do que a fatores externos.

Para vocês namorados que ainda tem dúvidas de fazer ou não terapia, se perguntem: como está nossa comunicação? Estou sendo claro? Estou realmente entendendo o que o meu parceiro quer dizer? A tentativa de melhorar a relação é recíproca? Ou apenas um está se esforçando? As palavras usadas nas discussões são construtivas ou destrutivas?

Perguntem-se, questionam-se, e se precisarem de ajuda procurem um profissional qualificado voltado à terapia de casais, pois acreditem, é o melhor investimento presente para um futuro equilibrado e feliz!

Desejo a todos um feliz dia dos namorados!


Tânia Maria Lima Maliska Sperati 

CRP 06/79567
Psicóloga Clínica Comportamental

*O material deste site é informativo, não substitui a terapia ou psicoterapia oferecida por um psicólogo.


Rua do Grito 133, Ipiranga – Próx. ao metro Sacomã

contato@equilybra.com.brequilybrapsicologia@hotmail.com

CRP/PJ: 4997-J

icone-face icone-instagram icone-youtube

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.