AO IDOSO COM CARINHO!

banner-paginas-posts


Quero iniciar esse artigo com algumas reflexões muito atuais. O envelhecimento da população tem manifestado um visível crescimento o que nos faz parar para refletir sobre o lugar ocupado pelo idoso, o papel da família, a organização social, de saúde, pública e privada que existe atualmente para abarcar este expressivo aumento do número de idosos. Este novo panorama exigirá esforços amplos e específicos de numerosos órgãos, departamentos, entidades, sociedades, especialidades, núcleos familiares, entre outros para que possa adaptar-se às novas demandas e corresponder às mesmas, sob uma perspectiva de acolhimento, inserção, igualdade de direitos, deveres e participação ativa.

As pesquisas sugerem que uma em cada nove pessoas no mundo possuem sessenta anos ou mais, e a previsão para 2020 é de que haverá um idoso para cada 13 habitantes, assim, em menos de 25 anos eles serão 15% da população e em 2050 alcançaremos, pela primeira vez, um número de idosos maior do que crianças menores de quinze anos, totalizando 22% da população global. A perspectiva no Brasil é de que a população acima de sessenta e cinco anos que resultava em 14,9 milhões em 2013, se eleve para 58,4 milhões em 2060, sendo que a expectativa média de vida dos brasileiros deve aumentar de 75 para 81 anos. O dia dos idosos, 1/10, merece ser comemorado? Com certeza! Os idosos de hoje não são os mesmos de ontem, muito espaço foi conquistado e há muito ainda a conquistar. Os idosos são mais ativos e muitas vezes não se sentem idosos, acompanham dentro do possível as tendências, capturam pokemons, possuem perfil no facebook, no instagran, conversam pelo whats app, se utilizam de vários aplicativos, muitos possuem linkedin, tentam se adaptar as novas linguagens e viver a vida da melhor maneira possível. Aproveitando os benefícios existentes entre a troca que ocorre no convívio com a as várias gerações, todos se beneficiam, aprendendo conjuntamente.

A teoria da seletividade emocional afirma, que os idosos moldam seu ambiente social de modo a ampliar seu potencial para sentir efeitos mais positivos e reduzir os negativos. Ao selecionar, caminham em direção a metas úteis e assim contribuem para uma velhice bem sucedida. Não perdem tempo com quantidades, preferem relações sadias e que acrescentem boas vivências ao seu repertório, dedicam-se ao que lhes interessa, são mais seletivos e participativos, e muitas vezes são eles que ainda governam as casas. A adaptação é individual, cada qual segundo sua história, características, irá compreender o envelhecimento de uma forma e reagir à este de acordo com suas possibilidades. O cuidado com o idoso deve envolver uma escuta efetiva, um lugar familiar e social no qual os indivíduos possam ser reconhecidos, estabelecendo projetos para o futuro. Se você, leitor deste artigo, parou um instante para pensar no processo de envelhecimento, e percebe uma alteração em seu humor, algo que lhe parece diferente do que sempre foi, ou sente que está variando muito de humor, que a vida pode ser mais feliz, com mais satisfação e realização, ou se conhece alguém nesta situação, não se deixe abater, reaja o quanto antes. Procurar ajuda é um ato de coragem e amor próprio. A psicoterapia pode ajudar muito no autoconhecimento, fortalecimento da confiança, auto estima e segurança, entre outros aspectos.  Enquanto isso o tempo está passando, e todos nós, da mesma forma, colecionando primaveras… que sejam bem vividas e que cada vez mais o futuro seja um bom lugar para os idosos de hoje e de amanhã.

 Liliana C. Leonardi.: CRP 06/58395

 Psicóloga clínica especialista em idosos pela Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, mestre e doutora pelo Instituto de Psicologia da USP

*O material deste site é informativo, não substitui a terapia ou psicoterapia oferecida por um psicólogo.


Rua do Grito 133, Ipiranga – Próx. ao metro Sacomã

contato@equilybra.com.brequilybrapsicologia@hotmail.com

CRP/PJ: 4997-J

icone-face icone-instagram icone-youtube

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.