SINDROME DE BURNOUT: A DOENÇA DO ESGOTAMENTO PROFISSIONAL

banner-paginas-posts


Muitas vezes sentimos alguns desconfortos na nossa vida profissional, como perda de vontade de ir trabalhar, faltar ou chegar atrasado, lentidão para realizar tarefas, falta de motivação e não sabemos o porquê.

O desenvolvimento deste esgotamento profissional decorre de um processo gradual de desgaste emocional e físico.

Começamos a notar alguns sintomas como: dificuldade de se concentrar, irritabilidade, falta de memória, agressividade, isolamento, pessimismo, mudanças de humor, baixa autoestima, gerando sentimentos e atitudes negativas no ambiente profissional e envolvimento com o trabalho.

Fisicamente começamos a sentir tontura, alterações no sono, cansaço, palpitação, pressão alta, dores nas costas, pescoço, arritmia cardíaca, distúrbios gastrointestinais, sem causas aparentemente orgânica ou específicas.

Esse esgotamento físico e mental decorrente da vida profissional é conhecido como Síndrome de Burnout.

É claro que qualquer que seja sua profissão, momentos de estresse e tensão fazem parte do dia a dia de todos nós e principalmente no mundo corporativo. Mas geralmente o estresse acontece por curto prazo e está relacionado com alguma situação específica no trabalho. Quando essa situação muda, o estresse e a tensão tendem a desaparecer. No caso da Síndrome de Burnout, há a permanência dos sintomas por um período mais longo. É uma exaustão profunda, que não melhora mesmo com descanso. Portanto, estamos falando aqui de um estado de tensão emocional e estresse crônicos. 

As pessoas mais suscetíveis a esse distúrbio psíquico, são aquelas que exigem muito da sua vida profissional e não medem seus esforços para conseguir, esquecendo de seus limites, deixando até de comparecer a alguns compromissos familiares para realizar tarefas profissionais.

A Síndrome de Burnout atinge mais profissionais que estão constantemente sob pressão no trabalho e principalmente, profissões ligadas direta e intensamente com , influenciando a vida das mesmas. Ou seja: professores, assistentes sociais, médicos, enfermeiros, bombeiros, policiais, advogados…

Hoje estamos comemorando o dia do professor e esse artigo visa homenagear esse profissional que tanto se dedica ao seu trabalho, deixando esse alerta.

A Síndrome de Burnout afeta aproximadamente 30% dos profissionais brasileiros, sendo que boa parte estão os educadores.

Sendo assim, seguem algumas dicas:

-Ter qualidade de vida: cuidar da saúde, dormir e alimentar-se bem, praticar exercícios e manter uma vida social ativa, evita uma série de doenças incluindo a Síndrome de Burnout.

– Estar atento aos sintomas acima citados, sua frequência e duração.

– Tendo o diagnóstico, o tratamento deve ser feito com acompanhamento médico, psicoterapêutico, atividades físicas e alteração de hábitos. 

A psicoterapia ajuda a aprendermos a lidar com os nossos limites físicos, emocionais e psíquicos, contribuindo principalmente para que o paciente encontre alternativas e soluções mais saudáveis para enfrentar seus desafios profissionais.

 

Ana Lúcia Moreira do Couto CRP -28436-8

Psicóloga Clínica e Psicopedagoga


*O material deste site é informativo, não substitui a terapia ou psicoterapia oferecida por um psicólogo.

foto-sindrome-de-burnout-equilybra foto-sindrome-de-burnout-equilybra-2 foto-sindrome-de-burnout-equilybra-3 foto-sindrome-de-burnout-equilybra-4 foto-sindrome-de-burnout-equilybra-5 foto-sindrome-de-burnout-equilybra-6


Rua do Grito 133, Ipiranga – Próx. ao metro Sacomã

contato@equilybra.com.brequilybrapsicologia@hotmail.com

CRP/PJ: 4997-J

icone-face icone-instagram icone-youtube

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *