PERÍCIA PSICOLÓGICA



Em quais situações se faz necessária um psicólogo perito ou psicólogo técnico ?

A perícia psicológica abrange as áreas: da família, Infância e Juventude, Direitos Civil, Direito Trabalhista e Direito Penal.

Alguns exemplos:
– Ações de disputa de guarda de filho(s) menor(es)
– Regulamentação de visitas
– Interdições -Divórcios
– Emancipações
– Avaliar crianças que podem ter sofrido algum tipo de abuso
– Aposentadorias
– Revisão do laudo psicológico no processo
– Testamentos contestados
– Aceitação em lares adotivos
– Avaliação das características da personalidade e de periculosidade no sistema penitenciário
– Prestar atendimento e orientação a detentos e seus familiares
– Avaliação mental para imputação Enfim, em todas as oportunidades em que se exige a perícia psicológica    para melhor instruir o processo, oferecendo elementos de convicção ao julgador para bem decidir as  questões judiciais pendentes.

O que faz o psicólogo perito? A avaliação psicológica pericial vai entender o que está acontecendo com as partes envolvidas no processo.

Envolve muita pesquisa, investigação, técnicas e métodos reconhecidos pela psicologia para avaliar as condições intelectuais e emocionais de crianças, adolescentes e adultos que fazem parte do processo.

Em casos de disputa judiciária, psicólogos não concursados podem ser contratados pelas partes em litígio para realizar acompanhamento do processo de avaliação, sendo então denominados assistentes técnicos.

Quem solicita o laudo? As partes envolvidas no processo, o advogado ou o juiz.
A justiça exerce o poder de conciliar as partes em caso de processo judicial
O perito em psicologia auxilia com o laudo ao juiz para tomar uma decisão.
Quando a prova depender de conhecimento técnico.
A perícia não se constitui como uma “verdade soberana”, deve apresentar de forma clara e lógica seus achados e conclusões.
Precisa ser apresentada através de um laudo técnico.
O laudo psicológico pericial é um forte instrumento a ser somado junto a outras provas como confissão, testemunhas, documentos e investigação judicial para o desfecho do processo.
“O Psicólogo Jurídico busca colaborar para que as pessoas tenham garantidos os seus direitos em questões que estejam envoltas com o mundo jurídico.
Com o uso dos seus métodos e técnicas científicas, o psicólogo jurídico auxilia os demais profissionais do mundo do Direito como magistrados, advogados,promotores e defensores, a fim de que a justiça seja feita.

A atuação do Psicólogo como Perito judicial nas Varas Cíveis, Criminais, Justiça do Trabalho, da Família, da Criança e do Adolescente assim como nas situações de interdições e aposentadorias é de elaborar laudos, pareceres e perícias para serem anexados aos processos.

Na área judicial, a perícia é tida como um meio de prova, que permite incluir dentro do processo dados técnicos os quais o juiz, não raramente, desconhece por ir além dos seus conhecimentos técnicos –jurídicos.

Atualmente, com a crescente demanda da necessidade desses conhecimentos, os magistrados têm acessado de forma mais intensa, o apoio aos peritos para justificarem embasados cientificamente suas decisões, tentando chegar a justiça plena.

¨Psicóloga Perita Adriana Soares. ¨No que diz respeito a perícia psicológica criminal, o psicólogo investiga os aspectos psíquicos/emocionais oferecendo argumentos e provas documentais para decidir o julgamento.

Na área da perícia criminal fica estabelecido a necessidade de que a perícia oficial seja realizada por dois psicólogos peritos que atuem de forma concomitante.

Nos casos em que envolvam a avaliação da saúde mental para imputação de responsabilidades e /ou periculosidade para medida de segurança é também necessário o exame médico-legal (laudo psiquiátrico).

 ¨Nas Varas da Família e das Sucessões, pode-se constatar que a atual fase de transição social, do ponto de vista da contestação de valores tradicionais, tem trazido consequente e considerável aumento de separações de casais, com as desadaptações esperáveis, quer nos separados, quer na prole envolvida nos litígios, resultantes dos desajustes familiares.

A título de exemplo, Divórcios, separações com litígio, disputas entre o casal, alienação parental, enfim,são situações onde inevitavelmente a parte mais afetada é a criança.

Ela não tem estrutura emocional pra lidar com tanta pressão. Isso pode gerar na criança / adolescente, stress, depressão, dificuldades na escola, somatização, isolamento.

Já nos casos trazidos ao Juizado de Menores, onde são atendidos especialmente os menores carentes, verifica-se que os fatores ambientais são as principais causas dos desajustamentos tanto afetivos quanto emocionais.

Em casos de suspeita de abuso, violência ao menor, bullying, é de extrema importância a avaliação do psicólogo para constatar a veracidade das informações.

O psicólogo forense também pode atuar em casos de interdições e processo de aposentadorias por invalidez.¨

 

Algumas Parcerias:

logo-parc logo-parc2 logo-parc3 logo-parc4


equilybra_psicologia_pericia_psicologica equilybra_psicologia_pericia_psicologica2

banner-paginas-posts-ok

Rua do Grito 133, Ipiranga – Próx. ao metro Sacomã

contato@equilybra.com.brequilybrapsicologia@hotmail.com

CRP: 4997-J

icone-face icone-instagram icone-youtube

2 thoughts on “PERÍCIA PSICOLÓGICA

  1. Bom dia ! Meu nome é lana eu sou estudante de psicologia na universidade nove de julho (uninove) , estou no primeiro semestre. Estamos fazendo um projeto e preciso de uma ajuda. Estou procurando um profissional na area juridica que eu possa entrar em vontato para tirae algumas duvidas . Voces pode me ajudar ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *